Segunda-feira, 01 de Outubro de 2007



Quando nascemos trazemos um grande conjunto de potencialidades humanas a serem realizadas em vida. Quando  nós entendemos onde estamos e olhamos o que os outros fazem, nós queremos fazer também, e começamos  a querer fazer, explorar, mexer... e depois, a perguntar, a advinhar o que se deve fazer, arriscando-se ao erro, tentando... e mais tarde, mais bem treinado, passou a já saber o que não se fazia, a fazer o certo e o esperado pela família, censurando em si mesmo aquilo que sabia ser inadequado, errado, pecaminoso, vergonhoso e assim por diante.
Pois bem, no caminhar do desenvolvimento da "sua criança" pela família e pela sociedade, você foi sendo treinado para poder discriminar, o melhor possível, o certo do errado, o bom do mau, o bonito do feio... Muitas "partes de si mesmo" tiveram de ser impedidas de agir por representarem tendências ou impulsos inaceitáveis para a sua família e  seus companheiros de caminhada, seus tutores, seus professores, seus treinadores. Com o tempo, o número de erros diários cometido foi melhorando,  felizmente, diminuindo e você já não dava tanto trabalho aos outros.  Pois quase que já   "sabia" sempre o que se deve ou não se deve fazer, ser, sentir, falar etc.  A pouco e pouco passaram a confiar na sua capacidade de se conduzir sozinho, e a assumir responsabilidades. Porque é que conseguiu mudar tanto? Porque desde que se tornou consciente de si,  passou a internalizar valores e explicações encontradas no seu meio ambiente. Fez isso na ânsia de se adaptar e de ser aceito por todos. Com o tempo aprendeu quais partes ou potencialidades humanas, que lhe dá respeito e  é vantajoso lidar e demonstrar; No entanto, paralelamente, outras potencialidades que traziamos foram reprimidas, escondidas, proibidas ou censuraradas.  Na nossa ingenuidade convencemo-nos que estes nossos instintos desapareceram, porque nunca precisámos de os exercer, porém a verdade é que elas são persistentemente incómodas e precisam de constante cuidado para se manterem fora de cena.

 

Paulo Vasconcellos

 



publicado por Sou às 22:38
mais sobre mim
Outubro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


arquivos
2009

2008

2007

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO